MioJo com Pipoca

Things that I can't keep just for myself.
Lembra daquele momento? Aquele momento em que tudo mudou… De uma hora pra outra, eu não mais podia olha-la sem deseja-la, de uma hora pra outra, eu não mais conseguia tira-la da minha cabeça, pois como já disse inúmeras vezes, “não se pode tirar da cabeça o que está preso ao coração.”… E de um estranho modo, aquele momento mudou minha vida completamente. Eu não mais vivia pra mim, não mais. Eu vivia em prol de faze-la sorrir, vivia com o intuito de vê-la alegre, com o propósito de tê-la ao meu lado, de tê-la feliz por estar ao meu lado.
Muitas vezes fracassei, ainda fracasso. Mas tive meus momentos, houve vezes em que a tive com seu lindo sorriso em meus braços, e sei que posso fazer com que esse instante de infinita felicidade se torne mais frequente, quase constante. Sei que posso faze-la ser uma pessoa que sorri “bobamente” do nada, só pelo fato de lembrar de uma coisinha que eu disse, de uma cara que fiz, de uma coisa que escrevi. Sei que tenho a capacidade de controlar-me para não passar do ponto que aquela saudável implicância se torna uma desnecessária e triste discussão. Sei que consigo fazer com que você faça cara de boba no meio da rua, por ler uma mensagem que escrevi um pouco antes de dormir e você não havia visto, sei que posso não magoa-la com meus fúteis e na esmagadora maioria das vezes, exagerados pensamentos  sobre a reciprocidade do meu sentimento.
Sei que posso tê-la feliz por deitar comigo a noite. 

-rafa Jordão

Lembra daquele momento? Aquele momento em que tudo mudou… De uma hora pra outra, eu não mais podia olha-la sem deseja-la, de uma hora pra outra, eu não mais conseguia tira-la da minha cabeça, pois como já disse inúmeras vezes, “não se pode tirar da cabeça o que está preso ao coração.”… E de um estranho modo, aquele momento mudou minha vida completamente. Eu não mais vivia pra mim, não mais. Eu vivia em prol de faze-la sorrir, vivia com o intuito de vê-la alegre, com o propósito de tê-la ao meu lado, de tê-la feliz por estar ao meu lado.

Muitas vezes fracassei, ainda fracasso. Mas tive meus momentos, houve vezes em que a tive com seu lindo sorriso em meus braços, e sei que posso fazer com que esse instante de infinita felicidade se torne mais frequente, quase constante. Sei que posso faze-la ser uma pessoa que sorri “bobamente” do nada, só pelo fato de lembrar de uma coisinha que eu disse, de uma cara que fiz, de uma coisa que escrevi. Sei que tenho a capacidade de controlar-me para não passar do ponto que aquela saudável implicância se torna uma desnecessária e triste discussão. Sei que consigo fazer com que você faça cara de boba no meio da rua, por ler uma mensagem que escrevi um pouco antes de dormir e você não havia visto, sei que posso não magoa-la com meus fúteis e na esmagadora maioria das vezes, exagerados pensamentos  sobre a reciprocidade do meu sentimento.

Sei que posso tê-la feliz por deitar comigo a noite. 

-rafa Jordão